Infelizmente, como toda profissão e atividade, no Home-Broker o investidor também erra bastante até acertar o passo. E infelizmente também, isso significa perder dinheiro nessa atividade. Pouco ou muito, conforme a precipitação de investir sem conhecer ou pelos caminhos inadequados. Vários são os erros cometidos, muitas vezes a pessoa até conhece o funcionamento do Mercado de Capitais, mas a compra e venda de ações envolve técnicas específicas. Detalhes e oscilações que podem fazer até um experiente advogado, economista ou contador, conhecedores de toda a legislação do setor, a amargarem prejuízos.

Em linhas gerais, cada qual desenvolve e escolhe a melhor técnica a seguir, de acordo com seu interesse e grau de conhecimento da matéria. O grande alerta e destaque é saber adaptar-se o mais rápido possível a essa atividade, minimizando as perdas. Que podem ser muitas, dificultando melhor aproveitamento nos ganhos. Aqui errar pode custar caro, e ninguém quer entrar para perder nenhum centavo. Assim, existem os que focam em gráficos, outros focam em releases de empresas, em US treasuries, em análises fundamentalistas, Dow Jones, etc. sem esquecer os que focam em operações de M&A e fusões de todo tipo. Cada qual cria seu próprio referencial, para saber quando comprar e vender. De tudo uma certeza: muitos perdem e poucos se estabelecem pra contar a história, como sempre. Listamos a seguir alguns erros básicos cometidos pelos operadores de primeira viagem citados no site societario.com.Br

1. Investimento Inicial alto: Esse é um dos erros mais comuns. De tanto ouvir falar no Home-Broker a pessoa vai se preparando psicologicamente para investir. Quando vem aquele valor de venda de carro, imóvel, ou outra entrada de capital do gênero, alguns investem de uma vez no Home-Broker. Nada mais errado. O problema é que a pessoa só vai descobrir isso depois do primeiro tombo, que provavelmente não vai ser pouca coisa. Assim o ideal é começar de leve, observando e com poucos recursos, pois acima de tudo Bolsa de Valores é atividade de captação e observação. Pois comprado o papel fica uma espera que pode ser extensa ou não.

2. saques precipitados: Nada mais errado do que no primeiro susto sacar tudo. Pode ser algo passageiro e nessas, perde-se o embalo do dia seguinte, se houver. Mas às vezes o saque pode ser certeiro, se for o começo de uma longa queda.

3. operar sem stop defensivo: Isso é básico pra quem quer operar. Principalmente com o Mercado em alta é fundamental armar o stop defensivo. Pois numa reversão rápida, se o mercado rumar pra baixo, depois de altas fortes, quedas fortes, e o stop defensivo ajuda a sair antes.

4. entrar com mercado em alta excessiva :É difícil saber o teto de Mercado, mas é comum ver pessoas investindo no Home-Broker depois de várias sequências de altas. Possivelmente com a sensação de segurança, que é enganosa muitas vezes. Mas entrando já num limite de alta, o prejuízo vai ser maior ainda.

5. gastos excessivos com corretagem :Comum também é a empolgação inicial com o Home-Broker, muitas ordens, muito vai-e-vem e quando a pessoa se dá conta gastou valores excessivos em corretagem. Pra corretora pode ser um bom começo, mas se continuar assim a pessoa terá de mudar de estratégia ou de corretora.

6. entrada no mercado de opções sem prática no homebroker :Opções chamam a atenção de quem quer ganhos num curtíssimo prazo de tempo. Mas vale lembrar que perde-se muitíssimo num segundo também. Basta assistir a variação no streamer: às vezes 2 minutos são suficientes pra cair ou subir uns 30%.

7. deixar todo valor de poupança em Bolsa de Valores :Com a mídia apoiando em massa esse tipo de investimento, não faltam exageros. Gente arriscando mais do que pode na Bolsa. O problema é que Bolsa não dá pra sacar à qualquer hora, a cotação pode estar baixa sendo necessário esperar semanas às vezes. Mas como as contas de água, luz e telefone não esperam, é necessário ter reservsa para cotidiano em caixa.

8. ações de empresas sem liquidez :Outra ilusão comum das pessoas é encontrar papéis que sobem 400% num mês, de empresas desconhecidas. Claro, o mercado é feito para todos e todos juntos é que fazem o Mercado funcionar, mas tem de ser especialista ou poderá haver dificuldades futuras de vender o papel na hora que quiser.

9. deixar a aplicação :Parece que não mas a dinâmica do mercado de ações exige acompanhamento de perto. Mesmo os fundos de ações, em que se deixa valores por bom tempo requerem atenção. Pois mesmo quem compra pra ter dividendos por exemplo, precisa sacar numa crise. Pois é notório que em casos graves mundiais ou nacionais, em poucos dias a queda pode chegar a 30% ou mais.

10. conhecimento restrito a poucos papéis :Outro problema é escolher apenas poucos papéis. A questão é que muitas vezes esses poucos papéis podem estar na mesma situação, em baixa ou alta e podem faltar alternativas. Nessas horas é necessário investir em outros papéis que contrabalancem o resultado final. O conhecimento variado é bom pois pode significar agilidade, e know-how pra montar um portfolio.

News Reporter
info@societario.com.br