Previdência – opinião copy/paste – e quando vier a deflação ???

Coitados dos futuros velhos… coitados dos futuros aposentados… Já reparou que todo sujeito que defende o ajuste na Previdência, é rico o suficiente ou é funcionário público ? Infelizmente a verdade dessa história, não se sabe se por alienação ou ignorância mesmo, é que não existe uma opinião inovadora a respeito desse embate. Sim, todo mundo com QI 80/100 já entendeu que o déficit público está imenso, os gastos previdenciários estão excessivos e a conta não fecha mesmo. Só que ninguém, nenhuma cabeça original, nem nos comentários de leitores da Folha, Estado, Globo, ousa pensar o problema sob outra ótica.

Afinal, conforme outro ponto de vista, a conta do déficit público nunca vai fechar por pelo menos 2 aspectos básicos: 1) altos salários dos funcionários públicos, e 2) anexos salariais de funcionários públicos como auxílio-moradia, auxílio-transporte/deslocamneto, etc. herdados do período hiperinflacionário das décadas de 70/80/90. Claro, é mais fácil atacar e cortar uma massa de idosos que ganha de 1 a 3 salários mínimos, do que enxergar que juízes, promotores, procuradores, delegados, funcionários públicos no geral, estão ganhando salários desproporcionais à realidade do país. Isso aqui não é Suécia, Dinamarca, óbvio, aqui é a terra das massas e disparates. Mas isso tem um preço. E algum “gado marcado povo feliz” já pensou o óbvio, que um juiz às vezes está ganhando o equivalente ao que ganham 10 velhinhos aposentados ?? No país do “direito em tese” todos têm direitos e uns mais direitos que outros. Isso sem comentar na questão da lógica das chamadas verbas acessórias, ou regalias. Tinha uma lógica, nas décadas de 70/80/90, era fazer offset de perdas salariais decorrentes da hiperinflação. Sim essa era a lógica do auxílio-moradia por exemplo. Só que a inflação está caindo cada vez mais, se naquela época era 30% ao mês, hoje é 4% a 5% ao ano ! Porém, como desmontar essas equações no pais dos orgulhosos “direitos adquiridos” ??

Nesse sentido, a culpa não é dos velhinhos que chegaram na aposentadoria. A culpa também não é de juízes, procuradores, delegados, promotores por seus salários. Pode parecer ridículo dizer, mas a culpa disso é o controle da inflação, o fato do país atingir já níveis de inflação de primeiro mundo. A inflação baixa, combinada com um caldeirão de leis jabuticabanas mal-feitas, que criou os tais indexadores inflacionários, correção monetária, ferramentas financeiras de uma outra Era. Quem tem coragem de levantar essa lebre ? É mais fácil jogar a culpa nos velhinhos, xingar políticos, do que parar pra pensar na lógica que levou a isso. Isso porque o mais crônico da história está por vir: a deflação de primeiro mundo vai ancorar aqui uma hora, é uma tendência já. Então como vão conciliar os mecanismos jurássicos de correção monetária, indexadores inflacionários, tabelas do Judiciário, com a futura deflação, direito adquirido e o orgulho de um povo do “direito em tese”, que sofre sempre potencial “armação” de terceiros, e é cheio de boas intenções. Pra ser mais claro, ao invés de falar da baixa inflação e seus efeitos, e até da futura deflação, é melhor sair cobrando tudo conforme tabelas de correção monetária e indexadores criados na década de 70/80/90… Numa nova modalidade discurso Gérson, de utilizar conceitos que já não fazem mais sentido com a baixa inflação, para se justificar.

I-CVM 588 / Crowdfunding

I-CVM 588 / Crowdfunding

5 Stars (1)

4 Downloads

Author: admin

Version: 1.0

Last Updated: 14-07-2017 12:17

Share

DescriptionPreviewVersions
CVM_588.jpg

Instrução CVM 588 – Crowdfunding- Oportunidade

Num momento crítico que o país atravessa, a CVM tentar ajudar gerar negócios, através da Instrução CVM 588. Basicamente, é um regulamento voltado para captações  pulverizadas,  para pequenas empresas atraírem capital de pequenos investidores, num montante de até R$ 5 milhões. É um novo horizonte de negócios, que surge com alguns conceitos inéditos. Não requer registro na CVM, o que já anima bastante empresários, visto que os processos com fiscalização intensiva pela CVM costumam custar caro e são repletos de exigências.

A empresa candidata ao crowfunding precisa ter perfil adequado, ser empresa pequena com faturamento até 10 milhões de reais por ano, e obviamente com ótimo potencial de expansão. Para se candidatar, geralmente são preferíveis empresas que tenham ao menos um histórico de funcionamento nos 12 meses anteriores ao processo de oferta. Um interessante componente que a Instrução CVM 588 traz é a figura da plataforma eletrônica de oferta fracionada. Essa plataforma sim é que precisa ser devidamente registrada na CVM, ter capital mínimo, atender requisitos técnicos e ser idônea para captar recursos.

É uma porta de oportunidades enorme que é aberta pela CVM. Com país atravessando uma grave crise econômica, a corrupção impune e o BNDES sempre continuando a rolar dívidas de imensas holdings de amigos do governo. O BNDES é que deveria ocupar esse papel, seja através da FINEP, seja colaborando com a FAPESP, por exemplo. De qualquer forma, além do BNDES só ajudar imensas empresas, com discurso corrupto de gerar empregos em escala, em cadeia, pra piorar a Instrução CVM não resolve o problema do Custo Brasil. Pode até ser que vingue tal iniciativa, com pequenas empresas podendo alavancar negócios. Porém qual projeto consegue ser eficiente e lucrativo num grau que consiga enfrentar, o invencível custo fiscal, tributário, trabalhista do país ?

Poucas ofertas em análise e muitos cancelamentos – CVM

O que dizer de apenas 4 ofertas sendo analisadas pela CVM ? TIVIT, IRB, Notre Dame e Atacadão. Realmente é o “fundo do poço”. Porisso trabalhar com advocacia de registros CVM é para mega escritórios. Porque em épocas assim, só mesmo o contencioso para segurar e pagar a manutenção do escritório. Em se tratanto de Debêntures, Energisa e a Concessionária Anhanguera-Bandeirantes, representam também o minimo do mínimo.

O que precisa ser destacado e lembrado é o número impressionante de cancelamentos de registros, saída da Bolsa de Valores. O motivo mais comum é não conseguir prestar informações adequadamente e custos elevados pra se manter tudo atualizado perante a CVM. Realmente a bolsa brasileira é feita para pouquíssimas blue chips, e uma boa parcela de aventureiros, sonhando alto. Quem pode atestar isso bem é sr X. Se manter uma empresa listada e valorizada já está díficil, que dirá manter a sequência de empresas da holding. Óbvio do óbvio.

Brazil Economic Canvas Quick Perspective

There´s a silent anti-entrepreneuer middle class investing way ongoing currently in Brazil. Some areas such as technology, health, assets maintance, have ordinary demand for further profits. But from a regular standpoint, middle class brazilians nowadays refuse to set-up new companies at all. High taxation system and an excess of legal workers’ protection make it a really hard assingment to turn any company profitable herearound.

A proud nation, aiming endless capital and profit whatever, whoever and anyhow, apparently fully capitalist, is ethnically profiled by na emerging class of immigrants. Never guilting themselves, but ever pointing the educational system, political bribery, a complex tax system, and workers several syndicates all around. In truth, a nation that shapes since early ages an excessive proud ambition anyhow, ever bypassing any dignity, honour, slight respect sense, in exchange for some pick of money.

Assimetries are all around. The middle-class mídia teleguided refuses to judge and further analyse with own critical spirit. The current political challenge is to dowsize the retirement system déficit. With nobody to please recall the public opinion that all governamental direct and indirect workers, commonly are earning too high salaries, comparing with brazilian population media. Not because are better brazilians, but just because there’s an entire system of benefits that adds amounts and calculate salaries according to 70, 80, 90 era of hiperinflation.

Total Brazilian GPD is only edging lower. With any inflexion perspective. Governament press only recalibrate data available, by focusing on commodities export indices, ever high leveled. A water and light blackout over the skyline, can also complicate the political stress. Furhtermore, the low fares era is a reality for cabs and airplane trips transport. Associated with the highlighted IT channels such as airbnb, uber and real estate direct owner rental and sales websites. Plus an ever remembered high homeless déficit.

CVM 400 – Trabalho específico para poquíssimos escritórios

Antes de mais nada, vale esclarecer a idéia da Instrução CVM 400, suas razões. É uma das principais instruções da CVM, e trata do funcionamento da Oferta Pública. Vale para cenários econômicos em que uma empresa deseja fazer uma oferta de valores mobiliários no mercado de capitais, e a polícia CVM deve fiscalizar e proteger investidores, realizando seu trabalho de supervisão. Sendo assim, geralmente através de escritórios especializados contratados para se obter o registro CVM, a empresa formata e disponibiliza uma série de informações que serão analisadas pela CVM. Basicamente o escritório de advocacia contratado prepara uma série de documentos de natureza principalmente financeira e societária, que serão analisados. Geralmente a CVM faz algumas exigências, e depois desde que atendidas os requisitos conforme vontade da própria CVM, é concedido o registro da Operação.

O que torna específico esse trabalho é sua natureza altamente especializada. É um projeto que sai bem caro também do ponto de vista legal. Só com advogados e documentos societários, fala-se em aproximados 1 milhão de reais de honorários. Não admite erros graves. Deve ser montado de tal maneira que as exigências sejam as mais plausíveis possíveis de serem cumpridas. Vale lembrar que são humanos que fazem toda a análise de documentos, sendo assim “cada cabeça, uma sentença”. Definitivamente são parte de um projeto ambicioso, que precisa valer a pena. A empresa precisa ser mega para subsistir depois no tempo, pois a grande maioria depois não consegue cumprir exigências e custos legais CVM mínimos, porisso acabam com registro cancelado. Só de auditores e advogados é uma fortuna de manutenção. Ao contrário dos EUA por exemplo,em que uma empresa pode ser listada, ter lucros em pouco tempo, e absolutamente decolar, aqui no Brasil a empresa precisa ser muito lucrativa. Porque pra valer a pena listar na Bovespa, e cumprir todas manobras legais, o custo é altíssimo.

Recorde de Cancelamentos de Registros na CVM

Porisso Brasil é um pais para profissionais. A empolgação com IPO é uma verdadeira ficção, a falta de liquidez uma realidade, e pra enfrentar altos custos CVM, só mencionar os 34 cancelamentos de registro em 2017. Em breve chegar-se-á aos 77 cancelamentos de 1999 ou aos 43 de 2002. A grande farsa da bolsa brasileira, é querer convencer investidores a acreditar em empresas instaladas num país repleto de fiscalização, impostos, e trabalhismo ímpar.

Estar parado, na realidade é estar piorando…

Sem sinais consistentes de recuperação, a economia brasileira vai de mal a pior. Pra acabar de vez com a situação, nem em blogs especializados, comenta-se as reais razões de tal aberração. Blogueiros e jornalistas carregam os servidores de mesmices, no melhor estilo “antenados”. Com zero visão crítica, zero criatividade, zero discernimento. Ninguém fala sobre o que é o espólio Brasil. O filho de uma país orgulhoso, que é burro esforçado, trabalha arduamente e já tem FGTS, direitos, orgulho sem fim. Que faz abaixo assinado para tirar professor, que aliás sabe mais que qualquer professor porque do seu berço esplêndido já nasceu sabendo.

No país promessa de gênios ridículos, acham que as razões da crise é especificamente a corrupção e educação. A+B=C. Criticam a Previdência, enquanto “qualquer funcionário público” ganha piso salarial de R$ 10 mil. Claro, a máquina fica sobrecarregada. Mal sabem associar isso ao passado hiperinflacionário, que criou auxílio pra tudo, ajuda de custo pra tudo, e hoje ninguém desmonta. Os mais novos não entendem isso, acontece que antigamente com hiperinflação, o poder aquisitivo não acompanhava a correção de preços, que subia toda hora. Com isso, o orgulhoso país de gênios criou indexadores e auxílios pra todos os lados e pra tudo. A inflação era superior a 30% ao mês. Só que hoje, a inflação anual é de 4% a 5% ao ano. Só que como é caso de direito adquirido, quem se arrisca a contar essa verdade, mesmo na web ? Não tem como desmontar isso.

Ter empresa no país, é uma tremenda ilusão. E acham que uma mudança política vai resolver isso. Infelizmente, a questão nem é saber votar. Problema que os alienados não entendem que mesmos grupos familiares, grupos de mesmo DNA, controlam isso. É só ver os clubes que frequentam, os tipos de festas, para entender quem é essa tal elite emergente que manobra o país. A esperança é a internet, não porque é bonita ou eficiente. Mas simplesmente por ser uma maneira de vender produtos e serviços pagando o mínimo de impostos. Em tempo, o futuro sombrio do país, nem Nostradamus poderia prever de tão bizarro. Uma elite de funcionários públicos “se achando”, empresários 90% falidos por não entenderem Custo Brasil, e uma classe média alienada que “cola na escola”, faz abaixo assinado pra tirar professor, e ainda tem a cara-de-pau de exigir qualidade na educação.